sábado, 1 de maio de 2010

Aquele presente inusitado!!!...


Jhonny era uma criança extrovertida e curiosa ,queria saber tudo :o como e o porque das coisas!...
Com sua personalidade forte mas com coração meigo e bondoso,era muito querido por todos!...

Pela sua teimosia ,portou-se mal,como qualquer adolescente nessa idade(tinha 12 anos).A sua mesada foi cortada,como castigo.

Era o Dia da Mãe!
Logo pela manhã veio felicitar-me e com um lindo ramo de rosas(Eram tão lindas!!!),disse:"Mãe ,es a melhor mãe do mundo,adoro-te!"
Abri o envelope rosado,muito lindo,e li o bilhetinho:
" Mãe,comprei estas flores com o esforço do meu primeiro trabalho...nunca vou esquecer esse dia!...mas estou feliz por ter conseguido oferecer-te estas rosas que tu tanto gostas! Adoro-te!!! "

Passados uns dias,a minha vizinha perguntou:
Gostou das flores?!...Sabe,seu filho veio aqui pedir-me para eu lhe deixar cortar a relva e limpar o jardim,pois precisava de um dinheirinho para o dia da mãe!.

Não pude dizer nada...fiquei sem palavras...

São estes pequenos gestos que nos fazem lutar na vida...e não os esquecemos nunca!!!

Joana Mendes

9 comentários:

  1. Poxa que surpresa agradável, lindinho.
    Abraços forte

    ResponderEliminar
  2. Joana,

    Uma bela história que reúne valores hoje tão esquecidos. Os pais devem educar e os filhos, quando bem educados, aprendem as lições. Meu pai sempre me dizia que na vida temos duas formas de aprender: aprender, aprendendo ou aprender apanhando da vida. Depois, completava: qual das duas você prefere?

    Abraços, Herval

    ResponderEliminar
  3. Joana,

    Linda e ternurenta a tua história! Adorei.
    É tão bom receber o carinho dos nossos filhos, venha ele na forma que vier! :)

    Beijinhos e desejo-te um feliz dia da mãe!
    Luísa

    ResponderEliminar
  4. Sou pai, nunca saberia, ao certo, o que uma mãe sente nessas horas. Sei o que o pai sente: orgulho e ternura!

    Mas, também sou filho, e sei o que minha mãe sentia quando eu a presenteava. Mesmo que ela tentasse disfarçar (escorpiana durona), sei que ela ficava envaidecida, e por aquele gesto se sentia recompensada em dois minutos pelo trabalho de todo os outros 364 dias do ano!!

    Bjs!!

    ResponderEliminar
  5. Jo, que lindo ler esse texto. Mas linda ainda o esforço do filho em presentear a mae.
    abçs

    ResponderEliminar
  6. Amiga Joana, parabéns por este conto de amor de um filho pela mãe. O dia das mães está próximo, e é uma pena que muitos filhos não conseguem dar o valor necessário as suas mães, pois dia das mães eé todos os dias. Abraços. Roniel.

    ResponderEliminar
  7. Muito legal... Vc tem um filho que te gosta e admira. Feliz dia das mães! Uma vez meu filho também me surpreendeu. Foi a um passeio com a turma da escola e eu dei a ele dinheiro para lanche e qualquer coisa que quisesse comprar. Na volta ele me trouxe um presente. Ele devia ter uns 6 anos. Ele não tirou o preço embaixo do presente e eu pude ver que ele usou todo o dinheiro que dei para comprar aquilo. Era um porta-jóias em forma de coração...rs

    ResponderEliminar
  8. Joana,

    Que emocionante a sua história minha amiga!

    As crianças sempre nos surpreendem mesmo. Sabe, eu lembro que minhas meninas também faziam esse tipo de coisa quando chegava próximo ao dia das mães, apesar que o pai sempre dava o dinheiro para que elas me comprassem um presente.

    Eu sempre falava para elas que o melhor presente Deus já havia me dado, que eram elas, as minhas duas lindas e queridas filhas, e não há presente melhor neste mundo.

    Ainda guardo em uma caixa, hoje uma caixa bem bonito que comprei, todos os bilhetinhos que elas sempre me escreviam. E sabe que vira e mexe eu ainda vou encontrando bilhetinhos espalhados! Quando eu os encontro, vão direto para a caixa.

    Adorei!

    Bjs.

    Ro.

    ResponderEliminar
  9. Joana, sabe que desde que minha filha nasceu, nunca ganhei presente de verdade, nem de dia das mães nem aniversario nem natal, quando ela começou a saber desenhar, passei a ganhar presentes dela: desenhos. Quando tinha 4 anos feitos, era natal, ela ficou tão desapontada que na arvore de natal tinham 3 presentes: 2 para ela e 1 para o pai que foi no quarto, pegou uma bolsinha e encheu de brinquedos e me deu. Ela nunca aceitou de volta seus brinquedos, até hoje, 5 anos depois, eu tenho a bolsinha na minha mesa de cabeceira.

    Bjs

    ResponderEliminar